Plano de contingência e ação para prevenção de transmissão
da infecção humana pelo Coronavírus (SARS-CoV-2 e COVID-19) no Colégio Português

Introdução

Considerando o atual estado de emergência de Saúde Pública, declarado pela Organização Mundial de Saúde, e atendendo às mais recentes evoluções da propagação da infecção por doença respiratória causada pelo agente Coronavírus  (SARS-CoV-2 e COVID-19) tendo como linha de referência as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Colégio Português definiu e aprovou as linhas gerais do seu Plano de Contingência Interno para o SARS-CoV-2 e COVID-19.

Este documento define o nível de resposta e de ação do Colégio Português de São Paulo para minimizar os riscos de transmissão daquele agente patogênico.

O Colégio Português está preparado para a possibilidade de parte (ou totalidade) dos membros da Comunidade Educativa não comparecerem no Estabelecimento de Ensino devido a doença, suspensão de transportes públicos, entre outras situações possíveis. Desta forma foi necessário avaliar:

            – As atividades desenvolvidas pelo Estabelecimento de Ensino que são imprescindíveis de dar continuidade (que não podem parar) e aquelas que se podem reduzir ou encerrar/fechar/desativar.

            – Os recursos essenciais (matérias-primas, fornecedores, prestadores de serviço e logística) que são necessários manter em funcionamento para o Estabelecimento de Ensino e para satisfazer as necessidades básicas dos seus alunos.

            – Os trabalhadores que são necessários garantir, sobretudo para as atividades que são imprescindíveis para o funcionamento do Estabelecimento de Ensino.

            – As atividades do Estabelecimento de Ensino que podem recorrer a formas alternativas de trabalho ou realização de tarefas, designadamente pelo recurso a trabalho remoto e reuniões por vídeo e teleconferências. Deve-se ponderar o reforço das infraestruturas tecnológicas de comunicação e informação para este efeito. A estrutura do nível de resposta de ação é definida ao atual conhecimento da propagação da doença e desencadeia-se a três níveis, a saber:

            a) Divulgação massiva de informação;

            b) Recomendações sobre cuidados de higiene e precauções de contágio;

            c) Monitoramento de eventuais casos suspeitos

Nível UM

Informações

  1. Com a entrada em vigor deste plano de contingência e ação, até que se justifiquem procedimentos diferentes, serão divulgados pelo Colégio Português, todos os comunicados dos Órgãos Oficiais da Tutela.
  • Sempre que se justificar serão emitidas explicações internas sobre algumas dúvidas que surjam no âmbito daqueles comunicados, orientações e Informações;

Nível DOIS

Recomendações sobre cuidados de higiene e precauções de contágio

  1. Nos locais de maior fluxo de alunos serão instalados dispensadores de produto de higienização antisséptico para mãos, para alunos, professores, colaboradores e todas as demais pessoas que se desloquem às instalações do Colégio Português possam desinfetar as mãos.
  • Sempre que possível os membros da Comunidade Educativa deverão cumprir os procedimentos básicos para higienização das mãos (lavar as mãos com água e sabão e esfregando-as até ficarem secas; sabão e água devem ser usados, preferencialmente, se as mãos estiverem visivelmente sujas);
  • Sempre que qualquer pessoa tenha necessidade de espirra ou tossir, deverá cumprir os procedimentos de etiqueta respiratória evitando tossir ou espirrar para as mãos, tossindo e/ou espirrando para o antebraço ou manga, com o antebraço flexionado ou usar lenço de papel e higienizar as mãos após o contacto com secreções respiratórias;
  • Deverão ser implementados procedimentos de conduta social, evitando apertos de mão e contatos próximos com pessoas que apresentem sinais de infecções respiratórias;
  • Nos pontos de entrada do Estabelecimento de Ensino estão disponíveis máscaras cirúrgicas para quem tenha, nos últimos 14 dias, realizado viagens às áreas dos países atualmente afetados pela doença ou, tenha tido contato com casos suspeitos ou confirmados de SARS-CoV-2 e COVID-19, nos termos definidos pela OMS – antes da colocação e antes da remoção de máscaras cirúrgicas as mãos devem ser higienizadas;

Nível TRÊS

Monitoramento de eventuais casos suspeitos

De Acordo com as mais recentes orientações da OMS estão definidos os conceitos de casos suspeitos, casos prováveis e casos confirmados. São considerados casos suspeitos todos aqueles que apresentem sintomas de infecção respiratória aguda, febre, tosse ou dificuldades respiratórias e tenham, nos últimos 14 dias histórico de viagens para áreas com transmissão comunitária ativa ou tenham tido contacto confirmado ou provável com sujeitos com teste realizado inconclusivo ou positivo para SARS-CoV-2 e COVID-19. São considerados casos confirmados todos aqueles que independente dos sinais ou sintomas tenham confirmação laboratorial de SARS-CoV-2 e COVID-19.

Procedimento perante os sintomas descritos acima: Qualquer membro da Comunidade Escolar com sintomas de SARS-CoV-2 e COVID-19 deverá informar (preferencialmente por telefone) a Direção da Escola.